FIES da Pós-Graduação em 2016



     

Governo não informa data para o início das inscrições. Instituições acreditam que o Programa só estará disponível no próximo ano.

Já faz oito meses que o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil do Ensino Superior) foi lançado para pós-graduação, cobrindo os cursos de mestrado e doutorado. Mas, até hoje, nenhum estudante conseguiu fazer o financiamento. O Ministério da Educação ainda não divulgou a data para que os interessados possam pedir o crédito estudantil, mas garante que será anunciada em breve. Por outro lado, as instituições privadas acreditam que ainda não será este ano que o programa será implementado.

O Programa irá beneficiar estudantes de mestrado, doutorado e mestrado profissional, não sendo válido para cursos de especialização e MBA. O governo pretende conceder o financiamento a mais de 25 mil estudantes em todo o país.

O Fies para pós-graduação é uma realidade desde 2007, mas só foi anunciada de fato em 2014, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

Com a possibilidade de o Programa ser anunciado este ano, muitas universidades se cadastraram no Sisfies no segundo semestre do ano passado. O Sisfies é uma plataforma online onde alunos e instituições tem acesso. Não foi divulgado pelo Capes, órgão pertencente ao MEC responsável pelo programa, quantas universidades se inscreveram.

O motivo pelo qual o Fies para pós-graduação ainda não foi anunciado é a falta de verbas. Por essa razão, as entidades de ensino superior acreditam que o Programa não irá ser retomado este ano.





Por conta da crise financeira, o MEC já atrasou esses repasses para pagamento de bolsa e para escolas privadas. O principal problema é a demora na votação do Orçamento de 2015 e também pelo corte de verbas.

De acordo com a assessoria de imprensa da Capes, em breve será divulgada a data para o crédito estudantil, mas não informou os motivos pelos quais o programa ainda não foi anunciado.

É um problema que ainda não tem data para ser solucionado. Isso dificulta as metas estabelecidas pelo PNE (Plano Nacional de Educação), que prevê que sejam formados até 2014 60 mil mestres e 25 mil doutores, todos os anos. Atualmente se formam por ano 45 mil mestres e 15 mil doutores. O Programa ajudaria a alavancar esses números, além de incentivar a pós-graduação no país.

Camilla dos Santos Batista



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *