Google e UFMG oferecem bolsas de estudo de Pós-Graduação



     

Parceria visa conceder bolsas de estudo e estágios remunerados para os estudantes no Centro de Engenharia da Companhia da UFMG.

Na última terça-feira, (27), a empresa Google Brasil consolidou uma conexão com o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UFMG. Uma parceria que deverá trazer muitos benefícios para ambos os lados.

Em decorrência do avanço tecnológico, a parceria entre empresas tecnológicas e setores de Ensino e Pesquisa torna-se um meio importante tanto para o desenvolvimento social e econômico, como para o desenvolvimento tecno-científico-informacional.

O objetivo desta interconexão entre o Google e a UFMG é a conceder bolsas de estudo e estágios remunerados para os estudantes no Centro de Engenharia da Companhia da UFMG.

O processo de seleção para a turma 2016-2017 do mestrado está aberto até 16 de novembro de 2015.

Na primeira fase de seleção, os candidatos selecionados para o PPGCC terão uma bolsa concedida pelo Google e, durante o segundo ano de mestrado, em 2017, farão um estágio remunerado na empresa.





A finalidade desta parceria é conceder aos mestrandos uma experiência concreta em uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, na qual serão inseridos à experiência e orientação de profissionais que são líderes na profissão da Ciência de Computação, além da oportunidade de trabalhar em projetos de larga escala no sistema em rede.

Ao final do período de estágio, os mestrandos da UFMG terão garantida a chance de uma entrevista de emprego, que pode resultar em uma efetivação na empresa.

Até o momento, o Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UFMG formou 985 mestres e 154 doutores que trabalham em universidades e empresas do país e do exterior.

Espera-se que esta interconexão entre Empresa e Universidade fortaleça ainda mais as parcerias que o setor possui com o Centro de Engenharia do Google.

Conforme o edital da seleção, serão atribuídas 50 vagas para a turma que inicia no primeiro semestre de 2016.

Por Felipe Pancheri Colpani



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *